São Paulo recebe classificação “BBB” da Fitch Ratings

Rating confirma boa qualidade de crédito e capacidade para honrar compromissos financeiros

sex, 29/07/2011 - 16h00 | Do Portal do Governo

A Fitch Ratings, uma das principais agências de classificação de risco do mundo, atribuiu ao Estado de São Paulo o rating “BBB” – Perspectiva Estável. Esta classificação, que confirma a economia paulista como “grau de investimento”, indica boa qualidade de crédito do Estado e sua capacidade de honrar seus compromissos financeiros. A nota da consultoria reflete também a força da diversificada economia paulista e sua condição para gerar receitas fiscais crescentes e melhorar o perfil de endividamento.

A Standard & Poors e a Moody’s também já haviam atribuído ratings de “grau de investimento”  a São Paulo. Com esta avaliação da Fitch, o Estado conta agora com avaliações positivas de risco de crédito das três principais agências internacionais de avaliação de risco.

De acordo com o relatório da Fitch, o desempenho fiscal e os resultados dos ajustes realizados na última década e a renegociação da dívida estadual proporcionaram a flexibilização do cronograma de pagamentos e alongamento de prazos. A reestruturação dos débitos e o rigor administrativo deixaram para trás os desequilíbrios registrados entre 1987 e 1994, e resgataram o equilíbrio das contas estaduais, que fecharam 2010 com margem operacional de 15%, a melhor registrada nos últimos cinco anos.

A Fitch menciona também o peso dos juros sobre o pagamento da dívida do Estado com o Governo Federal (Índice Geral de Preços – IGP-DI, acrescidos de 6% ao ano), o maior credor de São Paulo. A agência faz referência à capacidade de atender ao serviço da dívida apesar do efeito da inflação e dos limites de comprometimento de receita, que levam à manutenção de um elevado estoque de dívida.

Na avaliação da agência, São Paulo possui papel relevante na economia brasileira, concentrando 22% da população brasileira e 33% do Produto Interno Bruto (PIB). O Estado depende principalmente de sua arrecadação, que corresponde a 74% das receitas operacionais em 2010, o que indica baixa dependência do governo federal.

Veja abaixo os ratings atribuídos pela Fitch ao Estado de São Paulo:

– Rating de Longo Prazo em Moeda Estrangeira ‘BBB’; Perspectiva Estável
BBB Boa qualidade de crédito. O rating “BBB” indica que, no momento, existe uma baixa expectativa de risco de crédito. A capacidade de pagamento de compromissos financeiros é considerada adequada. Todavia, mudanças adversas nas circunstâncias e nas condições econômicas têm mais possibilidade de limitar essa capacidade. Este é a categoria inicial dos ratings grau de investimento.

– Rating de Curto Prazo em Moeda Estrangeira ‘F2’;
F2 Boa qualidade de crédito. A capacidade de pagamento de compromissos financeiros, no prazo esperado, é satisfatória.

– Rating de Longo Prazo em Moeda Local ‘BBB’; Perspectiva Estável
BBB (bra) Risco de crédito adequado comparado a outros emissores ou emissões do mesmo país. Todavia, mudanças adversas nas condições dos negócios, econômicas ou financeiras têm maior probabilidade de afetar a capacidade de pagamento dessas obrigações no prazo esperado do que no caso das categorias de ratings superiores.

– Rating Nacional de Longo Prazo ‘AA+(bra)’ (AA mais (bra)); Perspectiva Estável
AA (bra) Risco de crédito muito baixo comparado a outros emissores ou emissões do mesmo país. O risco de crédito embutido nessas obrigações difere apenas levemente do risco das obrigações com o mais alto rating daquele mesmo país

– Rating Nacional de Curto Prazo ‘F1+(bra)’ (F1 mais (bra));
F1(bra) Indica a mais forte capacidade de pagamento, no prazo esperado, de compromissos financeiros comparados a outros emissores ou emissões do mesmo país. Segundo a escala de rating Nacional da Fitch, esta classificação é atribuída ao melhor risco de crédito em relação a todos os outros do mesmo país e é, normalmente, atribuído para todas as obrigações emitidas ou garantidas pelo governo federal.

Standard & Poor’s
Em setembro do ano passado, São Paulo já havia recebido o rating “BBB-” da agência internacional Standard & Poor’s, classificação considerada como “grau de investimento”. Foi a primeira vez que o Estado se enquadrou nessa classificação, indicando a capacidade de honrar compromissos financeiros em razão de um sólido histórico de procedimentos de gestão.

Moody’s Investors Service
A Moody’s Investors Service também conferiu a classificação “grau de investimento” a São Paulo, ao atribuir a nota Baa3 ao Estado em novembro do ano passado. De acordo com a agência, o rating reflete a melhoria do ambiente operacional.

Rating
O rating é um mecanismo de classificação da qualidade de crédito que mede o risco de um agente (país ou governo subnacional ou empresa) ser capaz de cumprir com suas obrigações financeiras.

Para estabelecer um rating, as agências de classificação de risco levam em consideração todos os fatores que possam afetar a qualidade de crédito das obrigações emitidas pelo agente. No caso de rating de países ou governos subnacionais, a qualidade de crédito é função da condução da política fiscal e monetária, do endividamento interno e externo, da vulnerabilidade com relação ao mercado internacional; aspectos como o ambiente legal e de regulação também são considerados.

Ter um bom rating, ou uma boa classificação de risco, significa o reconhecimento pelos investidores de que o agente (país ou governo subnacional ou empresa) oferece condições privilegiadas de segurança ou de baixo risco para receber investimentos e/ou estabelecer parcerias, que terão impacto positivo na economia, gerando desenvolvimento econômico, emprego e renda.

No caso específico do Governo do Estado de São Paulo e das empresas estatais sob seu controle significa também que eles podem ter acesso a crédito mais barato por oferecer risco menor. 

Da Secretaria da Fazenda