USP: Instituto de Geociências inicia novo curso

Trata-se da Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental, primeiro no Brasil gratuito na área

ter, 03/06/2003 - 19h58 | Do Portal do Governo

Um novo curso de graduação será oferecido pelo Instituto de Geociências (IGc) da USP a partir de 2004. Trata-se da Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental, primeiro no Brasil gratuito na área. Será ministrado no período noturno e terá 40 vagas. A idéia é fornecer conhecimento do funcionamento natural do meio físico e de suas conseqüências perante as múltiplas atividades humanas.

“Boa parte do conteúdo do novo curso estava ,fragmentado, em outros já existentes, como por exemplo Física, Biologia, Química ou Geografia”, conta Maria Cristina Motta de Toledo, professora do IGc e coordenadora dos grupos de estudos responsáveis pela formulação da nova carreira.

Maria Cristina explica que a licenciatura criada vai suprir a ausência de profissionais capacitados em Geociências e Educação Ambiental. Sobretudo no ensino fundamental e médio. “Há cinco décadas, muitos conceitos das geociências são ensinados de forma fragmentada ou desatualizada na maioria das escolas do país.”

História da Terra

A nova carreira terá, dentre as disciplinas oferecidas, História do Planeta Terra e Evolução Biológica. “Queremos fornecer conhecimento sobre a dinâmica da história do planeta para atitudes mais conscientes no futuro”, conta a professora. Está prevista a contratação de mais três docentes, sendo dois deles especialistas em educação aplicada às Geociências.

Além de disciplinas e atividades voltadas à formação pedagógica, haverá matérias de outras oito unidades da USP, inclusive uma chamada de interunidades, ou seja, sob responsabilidade conjunta de duas unidades. Atividades práticas também estão previstas em vários âmbitos, inclusive no Museu de Geociências, já existente, complementando a grade do curso.

Segundo Maria Cristina, um bom indicativo da grande demanda na área de educação ambiental é o número de visitas ao Museu de Geociências. “De seis anos para cá passou de 5 mil para 20 mil visitantes anuais.”