Unesp: Faculdade de Medicina abre hospital para pacientes de HIV/Aids

Hospital Dia é resultado de uma parceria celebrada entre a Unesp e a Fundação Bons Ares

qui, 09/09/2004 - 19h30 | Do Portal do Governo

O Hospital Dia para HIV/aids, nova unidade do complexo médico-hospitalar da Faculdade de Medicina da Unesp/Botucatu, iniciou, nesta quinta-feira, dia 9, o atendimento aos pacientes que eram assistidos em ambulatórios do Hospital das Clínicas da instituição.

O Hospital Dia é resultado de uma parceria celebrada entre a Unesp e a Fundação Bons Ares, uma organização não-governamental mantida por grupos comunitários de Botucatu. A sua implantação teve apoio de recursos do Governo do Estado, uma vez que a unidade representa uma ampliação nas possibilidades de assistência aos aidéticos das regiões de Botucatu e Bauru, dentro das áreas cobertas pelas Diretorias Regionais de Saúde X e XI.

O Hospital permitirá um salto no volume de atendimento aos portadores de HIV/aids e que hoje é feito, apenas um dia por semana, em 9 consultórios disponibilizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Unesp/Botucatu. Pelas projeções de funcionamento da nova unidade, o Hospital Dia permitirá uma agenda de 2.400 consultas por mês, número bem superior às realizadas para os 80 pacientes que são atendidos, hoje, por mês. Além disso, a atenção será estendida a um maior contingente de crianças e gestantes.

De outra parte, o Hospital Dia será importante palco de ensino para os alunos de graduação de Medicina e Enfermagem, dos cursos de pós-graduação e aprimoramento, e para os residentes do Programa de Doenças Infecciosas e Parasitárias.

Segundo o diretor técnico da unidade, prof. Domingos Alves Meira, o Hospital Dia comportará um Núcleo de Apoio à Prevenção da AIDS que irá desenvolver três projetos na área social: um voltado para educação sobre AIDS e dedicado aos professores da educação infantil, nas redes públicas e escolas privadas da região; outro é um programa de redução de danos destinado aos usuários de drogas injetáveis endovenosas e que fará, entre outras coisas, a distribuição de seringas descartáveis; e o terceiro voltado à reinserção dos pacientes de HIV-AIDS na comunidade.