Saúde: Dependentes químicos da Capital têm apoio de centro especializado

Cratod cadastra usuários, promove intervenções médicas e desenvolve projetos de recuperação

ter, 15/10/2002 - 20h34 | Do Portal do Governo

Com o intuito de diminuir o uso de drogas lícitas e ilícitas, a Secretaria da Saúde criou em junho passado o Centro de Referência Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod). Ele está localizado na região da Estação da Luz, região central na Capital paulista.

A proposta do Centro é ampliar a qualidade de vida da população, com ações de prevenção e redução dos danos causados pelos entorpecentes. O Cratod cadastra usuários, promove intervenções médicas e atividades científicas. Também desenvolve projetos de recuperação e reintegração dos pacientes na família e mercado de trabalho.

O risco do uso eventual

Os profissionais do Cratod ressaltam que a sociedade é melhor informada sobre os transtornos causados pelo uso prolongado das drogas, porém desconhece o perigo do uso ocasional. Acidentes de automóveis e atropelamentos fatais causados pelo uso de entorpecentes e álcool, ilustram a situação. No período entre 1995 e 1997, o Ministério da Saúde destinou R$ 310 milhões com internações hospitalares ligadas ao uso de medicamentos, tabaco e drogas ilícitas – maconha, cocaína, crack, entre outras.

A filosofia do centro privilegia o tratamento do dependente, ao invés da repressão. As equipes médicas estudam os motivos da demanda por drogas. e analisam os fatores de risco e formas de prevenção ao uso. Os usuários responsabilizam o desemprego e a falta de perspectiva como fatores de atração.

O Centro apóia iniciativas como a de um município paulista que reduziu em 90% a taxa de homicídios com o fechamento dos bares à noite após às 23 horas. Um dos objetivos do Centro de Referência é promover este tipo de debate na sociedade.

As habilidades dos pacientes são estimuladas durante o tratamento em oficinas de reabilitação. Entre as atividades desenvolvidas, estão o artesanato, a marchetaria, a dança e a música, entre outras.

Os médicos relatam que alguns dependentes chegam sem noção do que está acontecendo no mundo. Nas reuniões são discutidos assuntos do dia-a-dia, política, economia e também o incentivo ao exercício da cidadania.

Um dos projetos especiais é a oficina de música, realizada nas tardes de sexta-feira, horário em que as pessoas costumam ir beber em bares com os amigos. No Centro, o prazer da conversa é estimulado sem a droga.

A duração do tratamento

O índice de recuperação mundial de dependentes, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de cerca de 30%. O Brasil está dentro desse percentual, embora a reabilitação seja lenta e o tratamento demande no mínimo um ano de trabalho em diversos níveis. O risco de recaídas cai após o primeiro ano de abstinência.

As pessoas que sofrem transtornos causados pela necessidade de se drogar, podem procurar a unidade nos seguintes horários: idade acima de 21 anos: às segundas-feiras, às 8 horas; às quartas-feiras, às 14 horas; e às sextas-feiras, às 10 horas. Adolescentes, com idades entre 12 e 21 anos, são atendidos pela primeira vez às quartas-feiras, às 8 horas.

Mais Informações

Cratod – Rua Prates, 165, Bom Retiro, próximo às estações Tiradentes e Luz do Metrô.
Horário de funcionamento: até às 19 horas.
Tel. (11) 3066-8705 e 3085-8090