Especial do D.O.: Parque da Juventude abre mais espaço de lazer para São Paulo

A partir deste domingo mais 120 mil metros quadrados de área verde estarão sendo entregues à população

sex, 17/09/2004 - 10h25 | Do Portal do Governo

Jardins, bosques, pequenos morros, árvores ornamentais e frutíferas, além de passarelas, pistas para prática esportiva e espaços para programação musical. Este é o Parque da Juventude, obra do governo do Estado de São Paulo, construído na área do Carandiru onde funcionava a Casa de Detenção. A partir deste domingo mais 120 mil metros quadrados de área verde estarão sendo entregues à população.

Com investimento de R$ 6,3 milhões, o projeto paisagístico incluiu variações suaves na topografia do terreno, tornando-o diferente de outros parques e praças onde tudo costuma ser plano. A idéia é proporcionar, ao visitante, sensação de privacidade e aconchego.

A muralha de observação da antiga penitenciária foi mantida para visitação. Uma grande estrutura metálica em aço possibilita ao visitantes andar em alguns pontos da muralha do antigo presídio ainda preservada. Foram criadas também duas novas pontes em madeira que irão permitir a interligação da próxima expansão do projeto.

‘Agora temos o complemento da parte esportiva, para aqueles que desejam caminhar e explorar o local ou simplesmente descansar. É um marco. A substituição de um lugar de repressão e tristeza por um local agradável, arborizado e comunitário’, declarou Lars Grael, secretário de Estado da Juventude, Esporte e Lazer.

Para Antonio Floriano Pereira Pesaro, secretário-adjunto da Casa Civil e coordenador do Grupo Executivo do Parque da Juventude, responsável pelo projeto e integração de todos os envolvidos na obra, “É gratificante entregar um parque com área verde, numa região metropolitana tão importante”.

A implantação do Parque da Juventude é coordenada por um grupo gestor composto pela Casa Civil, a Unidade de Gestão Estratégica, Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer, Secretaria de Economia e Planejamento e Companhia Paulista de Obras e Serviços. Participam também as secretarias de Saúde, Educação, Cultura, Meio Ambiente, Assistência e Desenvolvimento Social, Segurança Pública e Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Outras atrações

O Parque é cortado pelo Córrego Carajás que vai desembocar no Rio Tietê. A Sabesp atua no bairro de Santana e adjacências para que o curso d´água passe pelo parque com águas 70% mais limpas do que atualmente ocorre, o que deve acontecer até o próximo mês.

Uma área isolada de 16 mil metros quadrados de bosque com alguns exemplares remanescentes da mata atlântica será utilizada para prática de arborismo. Os visitantes poderão andar pelas árvores em caminhos suspensos. A atividade é inédita em um parque urbano em São Paulo. Outro caminho permitirá o passeio e exploração dentro da mata local.

O projeto arborismo terá sua primeira fase composta de cinco plataformas em diversas alturas e tipos de conexões. Até outubro, mais cinco novas plataformas serão entregues. Os responsáveis pela instalação, da Federação Paulista de Montanhismo, garantem que o trajeto foi elaborado para proporcionar uma linda vista e bastante emoção.

Um viveiro instalado no parque será utilizado para preparação de mudas e espécies arbóreas originais da mata atlântica. Para o início do próximo ano, haverá programação dirigida para escolas. Parque, viveiro e a mata serão o tema para um dia de aprendizado, conscientização ecológica e aventura.

Prática esportiva

A primeira fase do Parque da Juventude, com área de 35 mil metros quadrados, foi inaugurada em setembro de 2003, com uso livre para 10 quadras (poliesportivas, tênis, vôlei, basquete e futebol de salão). Há também áreas de descanso, vestiários, passeios e parte da pista para caminhada, cooper e atividade física.

O concurso de reurbanização do Carandiru foi realizado pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) e patrocínio da Nossa Caixa. O escritório Aflalo & Gasperini Arquitetos foi o vencedor.

O espaço esportivo já está plenamente integrado na região. É utilizada por diversas pessoas, desde grupos, representações, empresas, entidade, escolas, entre outros esportistas.

A terceira e última fase de obras no Parque da Juventude deverá ser concluída em 2006, com a realização do projeto executivo de reforma e adaptação dos antigos pavilhões prisionais do Carandiru. Estão previstos espaços para cultura (música, teatro e arte em geral), assim como shows e ensino profissionalizante.

O primeiro teatro, que terá palco estruturado para apresentações e shows ao ar livre, abrigará platéia de cerca de 30 mil pessoas. Outro teatro, com 530 lugares em dois níveis, terá capacidade para apresentações de orquestras completas.

Regina Amábile
Da Agência Imprensa Oficial

(AM)