Educação: Criatividade é essencial para ensino eficaz, revela pesquisa da USP

Reflexão e sensibilidade ajudam a identificar as necessidades dos alunos

sex, 01/08/2003 - 10h12 | Do Portal do Governo

Do Portal da USP
Por Juliana Kiyomura Moreno

Lecionar para adolescentes nem sempre é uma das tarefas mais fáceis, principalmente quando o assunto a ser tratado refere-se a matérias como Física, Matemática, Literatura. Após três anos de pesquisa, o psicólogo Márcio Garde identificou que a criatividade no ensino, além de demonstrar uma valorização do conhecimento, incentiva professores a buscarem no cotidiano do aluno subsídios para trabalharem o conteúdo da disciplina.

Em Ribeirão Preto, Garde entrevistou 12 professores do ensino médio de uma escola pública para elaborar sua dissertação de mestrado Criatividade: um estudo sobre as representações e crenças de professores do Ensino Médio, apresentada à Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto (FFCLRP).

Segundo o psicólogo, os resultados indicam que o professor está repensando, recriando sua metodologia por intermédio do debate, da discussão de textos e do diálogo com seus alunos. ‘Ao final de meu estudo percebi que os resultados encontrados são promissores por possibilitar principalmente a contribuição teórica de Jacob Levy Moreno, sua Teoria da Criatividade e Espontaneidade para o aprimoramento de técnicas e metodologias de ensino, entre outros aspectos’, comenta.

‘Enquanto o professor estiver ligado a preconceitos, não terá condições de criar uma forma nova de aprendizado. E a espontaneidade na criação é um dos princípios chaves para a Teoria da Criatividade de Levy Moreno’.

A criatividade no ensino é mencionada pelos professores entrevistados, enquanto um processo de reflexão e de sensibilidade em que cabe ao professor identificar as necessidades do aluno. Por desempenhar também o papel de docente de uma universidade particular de Ribeirão Preto, Garde notou que suas alunas do curso de Pedagogia repetiam as teorias que haviam sido ensinadas, mas ao entrarem em contato freqüente com estudantes secundaristas (público estudado pelo psicólogo), sentiam necessidade de repensar uma forma de melhorar o aproveitamento de suas disciplinas em sala de aula.

Desafios da modernidade

No contexto histórico atual, são muitas as exigências para que o educador auxilie seus estudantes a desenvolverem uma postura crítica diante os desafios da modernidade. Adaptada à realidade, as disciplinas podem ser incorporadas e associadas ao dia-a-dia e, assim, melhor aproveitada tanto pelos alunos quanto pelo professor.

‘Podemos destacar iniciativas dos professores que evidenciam diferentes caminhos para o exercício profissional criativo: trabalhos com tesoura, papel e colagem, para compreensão do desenvolvimento embrionário; temas históricos estudados de forma associada a temas atuais e o ensino da gramática e da literatura através de jogos de ‘stop’ facilitam a socialização e o aprendizado’, relata .

Para o pesquisador, a criatividade é um processo contínuo e, apesar de existir dificuldades para o desenvolvimento de um trabalho mais inovador no contexto institucional atual, o relacionamento professor-aluno pode ser melhorado se o ensino e conhecimento estiverem mais próximos da vivência do estudante.

Mais informações podem ser obtidas no site: www.usp.br/agen/

V.C.